Cabruca
Destaque 4 Destaque 5 Destaque 6 Destaque 7 Destaque 1 Destaque 3
FacebookTwitterYouTube

Sala de Imprensa - Notícias

15/10/2014

Bahia sai na frente em Agroecologia, mas há muitos desafios a serem enfrentados

A Bahia é o estado brasileiro com o maior número de agricultores familiares, presentes nos três biomas terrestres do Cerrado, da Caatinga e da Mata Atlântica, sendo que, vale frisar, o Semi-árido baiano é o maior do País. A afirmação atesta a importância da realização do 1º Simpósio de Agroecologia da Bahia, que tem o tema “Integrando novos saberes em busca de sustentabilidade e da vida.” O objetivo do evento é colocar em pauta a agroecologia no estado, destacando a interação entre as comunidades tradicionais, os movimentos sociais no campo, as instituições que trabalham com este tema no estado e a comunidade acadêmica. Informações e programação completa estão no site: simposioagroecologiabahia.org O Simpósio teve início, nesta segunda-feira, 13, e vai até amanhã, terça-feira, em Ilhéus. Na abertura, estiveram presentes autoridades como o pró-reitor da UESC, Alessandro Fernandes Santana, a diretora de Ciências Agrárias e Ambientais da universidade, Agna Menezes Almeida, o pró-reitor de pesquisa do IF Baiano Delfran Batista, o presidente da Teia de Agroecologia dos Povos da Cabruca e da Mata Atlântica, Jorge Rasta e o presidente do Assentamento Terra Vista, Joelson Santana, além do professor do IF Baiano e presidente do Instituto Cabruca, Durval Libânio, entre outros. “Agroecologia – integrando saberes em busca da Sustentabilidade e da Vida”, foi também tema da palestra de abertura, proferida pela representante da Universidade Federal de Viçosa e Associação Brasileira de Agroecologia – ABA, Irene Cardoso. Em sua fala, destacou: “é preciso resgatar os conhecimentos tradicionais e interagir com os conhecimentos científicos. É importante a troca de conhecimentos. Temos hoje o Agroecologia em rede (www.agroecologiaemrede.org.br), para mapear as diferentes experiências e estabelecer um diálogo entre os saberes do campo e os científicos.” O professor da Universidade de São Paulo (USP), em Piracicaba, Paulo Kageyama apresentou dados e pesquisas reforçando o lado perverso dos transgênicos, enfatizando como é prejudicial a monocultura do agronegócio para a população, para o homem do campo e para o País de forma geral: o grupo que eu represento trabalha com os assentamentos na Bahia realizando experiências em agroecologia para subsidiar políticas públicas para reforma agrária. Instituições como a Universidade Estadual de Santa Cruz (UESC), o IF Baiano, a Universidade Federal da Bahia (UFBA), a Universidade Estadual de Feira de Santana (UEFS), a Universidade Federal do Recôncavo da Bahia (UFRB) e o Centro Estadual de Educação Profissional no Campo Milton Santo, em Arataca, estão envolvidas na realização do Simpósio. Na programação Estão em pauta no evento temas como: "Agrobiodiversidade, convivência com os biomas e a soberania alimentar no Estado da Bahia”, “Sustentabilidade na agricultura e a superação de velhos paradigmas, por uma nova extensão e pesquisa”, “Ensino, formação e o perfil profissional em agroecologia” e "Situação Atual e Perspectivas da Agroecologia no Estado da Bahia."
Voltar

Av. 2 de Julho, 379 - São Sebastião - Ilhéus - Bahia - CEP: 45653-758
Email: cabruca@cabruca.org.br - Tel/Fax: +55 (73) 3633-6899